Ainda não é Chef Apptite? Transforme sua cozinha em seu negócio. Aproveite 30 dias grátis!

A influência do pai na introdução alimentar

A introdução alimentar dos bebês é um assunto que sempre traz novidades, pois acompanha os hábitos alimentares dos adultos, que vivem sofrendo alterações. Por isso, sempre surgem novas pesquisas, indicações, técnicas e teorias sobre o tema, o que faz com que muita informação seja novidade até mesmo para os pais e mães que já passaram por esse momento com seus filhos mais velhos.

O papel do pai na introdução alimentar

Uma dessas novas pautas que acompanham o tema é a participação dos papais neste momento tão importante para o desenvolvimento – físico, mental e até social – do bebê. E que bom! Vamos nos lembrar que com exceção de funções que não podem ser divididas por razões biológicas (como a amamentação, por exemplo), o ideal para uma família equilibrada e consequentemente um ambiente saudável para a criação de um filho é que as atividades sejam distribuídas e colaborativas entre pai e mãe.

Geralmente a introdução alimentar ocorre por volta dos seis meses de idade, fase de muitas descobertas, e por que não deixar o neném descobrir mais sobre o seu pai? São desses momentos que surge a comum admiração que as pessoas costumam ter pelo paizão.

Além disso, quanto mais tempo você passa na companhia do bebê, mais o vínculo paterno tende a ser fortalecido. Então é muito interessante introduzir-se na rotina do pequeno, e a hora de comer é um excelente momento pra isso.

Curiosidade:

Essa conexão entre pai e filho não necessariamente envolve a herança genética de intolerâncias alimentares; inclusive, é indicado que ovos, peixes, glúten e outros alimentos comuns por causarem essa reação sejam introduzidos na alimentação dos bebês por volta dos 8 meses, justamente pra tentar minimizar as chances do desenvolvimento dessa sensibilidade.

Tal pai, tal filho

Devemos nos lembrar que durante o crescimento, e principalmente nos anos iniciais, as influências que a criança recebe são unicamente ou em grande maioria o que se vivencia no ambiente familiar.

Daí percebemos a importância dos bons exemplos. Se você espera que seu filho tenha hábitos alimentares saudáveis, é essencial que demonstre a ele que isso é possível. Se a sua rotina não for tão rica em refeições mais naturais, talvez esse seja o momento de mudar.

Sabia que várias famílias aproveitam a introdução alimentar dos pequenos pra transformar a alimentação da casa inteira? Isso é muito legal e todo mundo sai ganhando!

Muito mais do que apenas refeições

Outro detalhe importante que deve ser lembrado é que a introdução alimentar é a construção da relação de uma pessoa com a comida, o que perdura a vida toda e pode ou não ser saudável; por isso diversos profissionais alertam que não é indicado promover uma criação de hábitos problemáticos na introdução alimentar, como recompensas pra quando a criança “limpa o prato” ou punições pra quando ela se recusa a comer. Você já parou pra pensar que essas atitudes podem ser gatilhos pra futuros distúrbios alimentares?

Da mesma forma, também não se deve insistir no momento de recusa de um determinado alimento. Ao invés disso, vocês podem tentar apresentar a mesma comida com um novo preparo, depois de um tempo. E ter paciência é primordial: estudos indicam que pode ser necessário tentar até 10 vezes fazer com que os pequenos peguem gosto por um novo sabor.

Pois é, essa é uma fase muito delicada e também por isso, as funções devem ser distribuídas entre pai e mãe, sempre que possível. Lembre-se, papai, que esse período tende a ser muito mais exaustivo para as mamães, que podem estar ainda lidando com questões de seu próprio corpo enquanto precisam dar conta de todo o resto.

Desenvolvimento de relações saudáveis

E quando falamos nas relações saudáveis que a introdução alimentar proporciona, vamos além da relação do bebê com cada novo alimento (ou mesmo com a comida de modo geral); nesse período, seu filho está associando os hábitos da família e manter uma rotina na hora das refeições é muito válido por diversos motivos:

1) Isso ajuda a manter a atenção da criança no prato, permitindo que ela viva inteiramente aquele momento e deguste os sabores que estão sendo apresentados a ela;

2) Muitas vezes, o café da manhã, almoço e/ou jantar são os únicos momentos em que a família consegue se reunir. Isso pode impulsionar a conexão criada entre pai e filho de uma maneira única;

3) É nesse momento que o fator do exemplo fica mais evidente: quando a criança percebe sua família consumindo tais alimentos, o natural é que surja uma curiosidade pra experimentar aquilo também. Principalmente quando seu super-herói demonstra apreciar o sabor! Isso simplifica o processo da introdução alimentar e abre as possibilidades de alimentos aceitos pelas crianças;

4) Este também é um jeito de transmitir tradições familiares para as próximas gerações.

Voltando a falar da importância de toda a casa manter uma alimentação equilibrada e natural principalmente nesse momento – você não achou que ia se safar dessa, né? -, um dos métodos mais utilizados atualmente pra simplificar a introdução alimentar é chamado de pê-efinho, e consiste nisso mesmo que você tá pensando: numa versão mini dos pratos geralmente consumidos pela família. Viu como você precisa ser um bom exemplo? Afinal, tal pai, tal filho!

E se quer facilitar o preparo das refeições, conheça as versões kids dos nossos pratos! Elas podem ser uma verdadeira mão na roda em termos de variedade, nutrição e, é claro, praticidade. Dá uma olhada nessas opções:

Kids – Strogonoffinho de Frango do Tio Oria, por Chef Felipe Oria – Pinheiros

Kids - Strogonoffinho de Frango do Tio Oria, por Chef Felipe Oria - Pinheiros

Kids – Strogonoffinho de Frango do Tio Oria, por Chef Felipe Oria – Pinheiros

Fish & Chips kids, por Chef Betty Abadi Berg

Fish & Chips kids, por Chef Betty Abadi BergFish & Chips kids, por Chef Betty Abadi Berg

Prato Kids Escalopinho, por Chef Rodrigo Einsfeld

Prato Kids Escalopinho, por Chef Rodrigo EinsfeldPrato Kids Escalopinho, por Chef Rodrigo Einsfeld

PRATO KIDS, por Chef Marcos Miyake – Furikake Food

PRATO KIDS, por Chef Marcos Miyake - Furikake FoodPRATO KIDS, por Chef Marcos Miyake – Furikake Food

ELLA’S EXECUTIVE (menu kids), por Chef Tess Abreu Tess Kitchen

ELLA'S EXECUTIVE (menu kids), por Chef Tess Abreu Tess KitchenELLA’S EXECUTIVE (menu kids), por Chef Tess Abreu Tess Kitchen

Combo kids – (10 sushis + sobremesa), por Chef Nathan Natsushi temakeria

Combo kids - (10 sushis + sobremesa), por Chef Nathan Natsushi temakeriaCombo kids – (10 sushis + sobremesa), por Chef Nathan Natsushi temakeria

Prato Kids – Frango com arroz, feijão e legumes, por Chef Hilário Franco

Prato Kids - Frango com arroz, feijão e legumes, por Chef Hilário FrancoPrato Kids – Frango com arroz, feijão e legumes, por Chef Hilário Franco

Kit Kids – 6 de 250g – GlutenFree e LacFree, por Chef Dani Limão – MNZ

Kit Kids - 6 de 250g - GlutenFree e LacFree, por Chef Dani Limão - MNZKit Kids – 6 de 250g – GlutenFree e LacFree, por Chef Dani Limão – MNZ

Curtiu o tema? Você é pai de primeira viagem ou já tem experiência com essa aventura que é a introdução alimentar? Conta aqui nos comentários e não deixe de seguir o Apptite nas redes sociais pra conferir tudo o que preparamos pra você: Facebook | Instagram | LinkedIn.